sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Xmas stand up Comedy




O ano de 2008 foi difícil, 2009 também vai sê-lo, o mundo está em crise. Um quadro negro que levou o primeiro-ministro a dedicar a mensagem de Natal ao compromisso de que usaria de todos os recursos para ajudar o país.

O actual estado de coisas é, assim, atribuído à conjuntura internacional, dado que, "nos últimos três anos, o país ultrapassou a crise orçamental e pôs as contas públicas em ordem". Um resultado que, garantiu o primeiro-ministro, possibilita hoje "usar mais recursos do Estado para apoiar o emprego, as empresas e as famílias".

Entre essas ajudas do Governo, Sócrates apontou o aumento do abono de família, a aposta na acção social escolar e a redução dos preços dos transportes escolares. Mas também o aumento do salário mínimo e dos salários da função pública "acima da inflação", a "generalização" do complemento solidário para idosos e a baixa dos juros nos créditos à habitação.

Da parte do Governo, ficou a promessa da defesa do interesse nacional através do uso de "todos os recursos" disponíveis, com "rigor, sentido de responsabilidade e iniciativa", para ajudar a ultrapassar dificuldades e "incentivar o investimento económico que gera riqueza e emprego". Sócrates concluiu com uma nota de confiança no "talento" e "trabalho" dos portugueses para saber atravessar a crise económica internacional".

Porreiro, pá!!


quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Natal Macal



Diz-se que o bacano do Sam está a aparecer muito, que não tem qualidade para estas coisas e tal.
Mas ele é percebes atlantes, ele é altofalantes ou uma Macal pelo Natal. Fora as avestruzes, cruzes!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Samêlo





Um palavrão para ilustrar a traição de Sam que de papo cheio começa a martelar as imagens e automáticamente mente o momento e dá como resultado um pequeno jumento. Há uma maldição digital que me paira nas mãos, sempre a cortar as vazas mais fixes. O que vale é a poupança que faço na Meca dos hamburgos que me dá para comprar fita-cola para arranjar as maquinetas. Ó etas!

ser malandro rendimento minimo caloteiros


Exactamente. Alguém andou no google à procura desta interessante combinação de palavras e veio parar ao nosso site.


Por isso, a pensar em todos aqueles que fazem esta curiosa associação de palavras, aqui fica o nosso manifesto sobre a matéria.



O Eurostat, o gabinete de estatísticas da União Europeia, estima que quase 20 por cento dos portugueses vivem ou estão em risco de viver em situação de pobreza.


Para o vai5, a maior pobreza de Portugal é a de espírito.


Só assim se explica a mentalidade colectiva que considera que os apoios sociais (rendimentos mínimos, subsídios de desemprego) são sinónimo de preguiça e malandragem.


Os corruptos, os burlões da alta finança, os empreiteiros, os filiados nos partidos, os gestores de empresas públicas, institutos e tudo o resto que conduz um carro de luxo, o povo respeita.

Ai de quem precisa de ajuda nesta África europeia, com um povo tão ignorante e que se maltrata tanto a si próprio e aos seus...

Face a esta singular dinâmica social, uma vez perguntei ao meu editor, um alemão que vive em Portugal há 20 anos:

- "Uwe, someone from Germany who comes to Portugal, will became a better or a worse person?"
- " Will became a better person."
- "Why do you say that?"
-"Because in Germany, if you fall, you go to the social sistem. In Portugal, if you fall, you fall."

...ou seja, "if you fall", ser malandro rendimento mínimo caloteiros!


Restaurante Drácula



"a place w(h)ere you can delight your body and soul"

(o drácula chumbou a Inglês no 5º ano de escolaridade. Faltou às aulas durante o dia?)

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Betty


Cantei uns fados à gamba
Do Estrada m'alembrei
Pus a Betty num jardim
Rosas nele plantei
the-infectious-bettie-page.blogspot.com

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

100 anos do grande cineasta






Cruzar a vida a valer sulcar o riso sem sofrer o horizonte a perder, Ó larilolel.
Viva a lenda, Viva Manoel!
Imaginar para maravilhar









segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Open space natalício








Jake o estripador não estirpa
Espreme-se a fera tripa
Numa tripla selecção suldita
+ uma bela safadita
À coca de uma prenda
Já se cola a encomenda


sábado, 6 de dezembro de 2008

Carreira de trio








Aqui aponho o meu contributo para a esplendorosa banda sonora da Lusitânia profunda, coisas que se podem ouvir nas radiolas de Antonino Limões, Seruca Guerreiro e Gastão Cavalinha cultores de uma harmonia siderante que estilhaça toda e qualquer crise...
Pena que não haja em 50 anos de carreira um teledisco digno do nome.


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

após calypso dos obreiros












http://casadeosso.blogspot.com/

aceita este livro, diria, mais bonito do que os outros. encontrarás nele imagens, sim, imagens que talvez te surpreendam. mas não te assustes,tantas vezes to peço, não te assustes. repara na natureza das coisas, em como é tão comum depararmo-nos com estas ideias e talvez entendas
há uma pornografia erudita feita para gente como nós. uma coisa assim entre o querer fazer, a aflição espiritual e o amor eterno

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Rubio







Um aficionado das motas, ex-estafeta na "roaring London", é o anfitrião de um local especial, longe de tudo, onde o descanso combina com uma ligação à natureza em ambiente familiar.
Belos quartos, birdwatching, colher cogumelos, pequenos almoços fantásticos, jantares em familia muito interessantes, ambiente de qualidade, foi um privilégio do amigo Dave.



Quinta do Barranco da Estrada, 7665 880 Santa Clara-a-Velha, Portugal. Tel +351 283 933 065 http://www.paradise-in-portugal.com/ paradiseinportugal@mail.telepac.pt

Grandes iluminados I - O rei Salomão




Influênciados pelo programa «Câmara Clara» da RTP2 e pela grelha matinal da TVI aos domingos, e de modo a elevar os temas discutidos neste espaço humilde e sem grande interesse que lhe valha, vamos tentar elevar o nível de não-sei-quê, grandes iluminados e coiso e tal.

Na minha mentalidade de background judaico-cristã, numa vertente fundamentalista importada dos Estados Unidos da América e imposta à força no meu subconsciênte por uma avó bastante fundamentalista, há alguns episódios biblicos que penso com mais frequência que gostaria de o fazer.

A primeira tem a ver com Moisés. O facto de o mar egeu se abrir para ele caminhar, é uma coisa espantosa. Nem a melhor ficção-científica foi capaz de se lembrar de tal coisa. Além disso, este homem foi iluminado ao ponto de ver a face de Deus, senhores.

A segunda tem a ver com a actual crise.

Segundo as escrituras sagradas, ninguém foi maior que o rei Salomão.

Vejam:

"Salomão tinha também quarenta mil manjedouras para os cavalos dos seus carros, e doze mil cavaleiros".

"Ora, Deus deu a Salomão sabedoria, e muitíssimo entendimento, e conhecimentos multiplos, como a areia que está na praia do mar"

"A sabedoria de Salomão era maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios"

"Era ele ainda mais sábio do que todos os homens, mais sábio do que Etã, o ezraíta, e do que Hemã, Calcol e Darda, filhos de Maol; e a sua fama correu por todas as nações em redor. Proferiu ele três mil provérbios, e foram os seus cânticos mil e cinco."

Não sei que era Etã, o ezraíta, nem Hemã ou os filhos de Maol, mas este homem par mim é um dos grandes iluminados da Humanidade.

A minha será - será que este grande iluminado da Humanidade, compreendeu a mente de Eva?
Se eu fosse Salomão, trocaria todas as manjedouras, apenas pela chave que abre e fecha (não é aquilo que vocês pensam) a mente feminina.
Então sim, seria Rei. Luz, iluminado.







sábado, 29 de novembro de 2008

Força Benfica






Silves não drome!



Olimpo

Sentado no trono dorme Zeus
Com um olho aberto a ver os céus
Ri Saturno para os seus anéis
Convencido que é o rei dos reis

No Olimpo
Não muito longe daqui
No Olimpo
Ninguém sabe quem tu és
Ninguém quer saber quem és

Vénus arrebata os corações
Que se perdem no mar das paixões
Baco bebe até não poder mais
Desse néctar que os torna imortais

No Olimpo
Não muito longe daqui
No Olimpo
Ninguém sabe quem tu és
Ninguém quer saber quem és


E Sagres também não...
O pesadelo duma nação.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A day in a life













Ando por aí em território pestilento, escasso, mortiço, colhendo boletos ou outros assim talvez venenos...
Mas salte-se em direcção à sobrevivência do espírito.


Embustes







O Embuste dos Artistas e Escritores


Estamos habituados, perante tudo o que é perfeito, a omitir a questão do seu processo evolutivo, regozijando-nos antes com a sua presença, como se ele tivesse saído do chão por artes mágicas. Provavelmente, estamos ainda, neste caso, sob o efeito residual de um antiquíssimo sentimento mitológico. Quase nos sentimos ainda (por exemplo, num templo grego como o de Pesto) como se, numa manhã, um deus, brincando, tivesse construído a sua morada com tão gigantescos fardos. Outras vezes, como se um espírito tivesse subitamente sido metido por encanto dentro duma pedra e quisesse, agora, falar através dela. O artista sabe que a sua obra só produz pleno efeito, se fizer crer numa improvisação, numa miraculosa instantaneidade da sua criação; e, assim, ele ajuda mesmo a essa ilusão, introduzindo na arte, ao começo da sua criação, aqueles elementos de entusiástica inquietação, de desordem que tacteia às cegas, de sonho atento, como forma de iludir, a fim de dispor o espírito do espectador ou do ouvinte de modo a que ele creia no súbito brotar da perfeição. A ciência da arte, como é evidente, tem de contradizer essa ilusão da maneira mais determinada e apontar as conclusões erróneas e os maus hábitos do intelecto, graças aos quais este cai na rede do artista.
Friedrich Nietzsche, in 'Humano, Demasiado Humano'
Sam cogitava na madrugada sobre a sua capacidade de elaborar imperfeições ou apostar em coisas pouco sólidas. Resistia a processos castradores com muita dificuldade...